MEIO

 A Escola Básica 123/PE Bartolomeu Perestrelo situa-se no centro da cidade do Funchal na freguesia do Imaculado Coração de Maria e encontra-se inserida num tecido urbano consolidado que ainda apresenta vestígios de um passado agrícola.
A escola Bartolomeu Perestrelo viu a sua localização alterada, por diversas vezes, instalando-se em definitivo a 6 de outubro de 2004 para a presente localização e com direito a uma rua com o seu nome, Bartolomeu Perestrelo.
A maioria dos seus alunos é residente nesta freguesia e nas que lhe são contíguas. As acessibilidades são boas e todos os dias a nossa escola recebe os alunos do pré- escolar primeiro, segundo e terceiro ciclos que se distribuem pelos dois turnos letivos.
 Sobranceira à baía do Funchal, esta escola usufrui de uma vista fabulosa entre o mar e a serra, bem no coração da cidade que a acolhe. Rica em património urbanístico, igrejas, calçadas, jardins públicos é fácil ao observador mais atento perder-se nestes recantos que pela envolvência natural tornam a cidade encantadora.
 O concelho tem ao dispor da comunidade infraestruturas culturais e desportivas (o pavilhão gimnodesportivo Bartolomeu Perestrelo é exemplo da extensão da oferta educativa da escola à comunidade); existem também vários serviços públicos e privados nas áreas do ensino e do entretenimento.
 Talvez pelo facto de sermos ilhéus, numa cidade onde predomina o sector terciário, muito ligado ao turismo e que tem no seu porto de mar uma janela para o mundo, a nossa comunidade escolar partilha dos anseios e condicionalismos das suas gentes.
 A dinâmica ao nível de projetos desenvolvidos pela escola tem eco na formação dos nossos jovens, alicerçando o conhecimento e os valores cívicos.
 Presentemente a escola desenvolve parcerias com os serviços culturais e científicos tais como: biblioteca, museus, serviços dependentes da Câmara Municipal e da Junta de Freguesia, entre outros, permitindo dessa forma alicerçar a sua identidade e crescer com o pulsar da cidade.
 A escola existe como organismo vivo que se constrói todos os dias e se renova num espaço afetivo onde se partilham saberes e se consolida o futuro dos nossos jovens.


 
A NOSSA HISTÓRIA

 A Escola Bartolomeu Perestrelo, inicialmente uma Escola Preparatória do Ensino Secundário, foi criada pela Portaria 561 de 28 de novembro de 1972, ficando instalada na Rua das Mercês, no Funchal. É transferida, em 1976, provisoriamente, para o edifício do Seminário Diocesano do Funchal, na Rua de Santa Luzia, desta cidade. Até ao final da década de oitenta, teve um anexo, na Travessa do Nogueira e nos Louros, sucessivamente, onde eram lecionados os 5.º e 6.º anos do Ciclo Preparatório.
Pela Portaria nº 17/91 é criada a Escola Básica e Secundária Bartolomeu Perestrelo e lecionava, integralmente, no ano letivo de 1991/92, o 2.º e 3.º ciclos. A partir de 1998/99, passou a designar-se como Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos Bartolomeu Perestrelo.
 Apesar das sucessivas transformações do quadro legal, a Escola manteve-se em funcionamento nas instalações do antigo Seminário, arrendado pela RAM à Diocese do Funchal, até setembro de 2004, data da sua transferência para edifício novo, na Rua Bartolomeu Perestrelo, freguesia do Imaculado Coração de Maria, Funchal.
 Este edifício, datado de 1909, foi mandado construir na cerca do extinto Convento da Encarnação pelo bispo da Diocese do Funchal, D. Manuel Agostinho Barreto, como refere o “Elucidário Madeirense”. Depois de 1910, com a implantação da República, o Estado tomou conta do edifício, deixando de funcionar lá o Seminário. Só em outubro de 1933, é que o Seminário pôde voltar a funcionar na casa que D. Manuel Agostinho Barreto mandara construir, e aí se manteve até 1974.
 A 6 de outubro de 2004, a Escola Bartolomeu Perestrelo mudou de instalações para um edifício de raiz, situado na rua Bartolomeu Perestrelo, n.ºs 3 e 5, na freguesia do Imaculado Coração de Maria. É constituída por sete pisos, com cerca de cinquenta espaços de ensino, um polidesportivo, ginásio, laboratórios, salas de informática, biblioteca, auditório, cantina e um pavilhão gimnodesportivo.
Atualmente a escola sofreu nova transformação no quadro legal a EB1/PE Imaculado Coração de Maria funde-se com a EB23 Bartolomeu Perestrelo, passando a designar-se EB123/PE Bartolomeu Perestrelo (Portaria 61/2013, de 19 de julho publicada no Joram n.º 25, I série).

 ESPAÇOS FÍSICOS

 A Escola Bartolomeu Perestrelo ocupa um edifício com: rés-do-chão, 1º, 2º, 3º, 4º, 5ª andares e cave. Dispõe de anexo, na parte sul da escola, onde está instalado o pavilhão gimnodesportivo. No exterior existe um polidesportivo destinado à prática de Educação Física e ainda um pátio descoberto. As áreas cobertas, nos pátios, são razoáveis para o número de alunos que a Escola acolhe diariamente.
 O edifício central conta com vinte e oito salas de aula, todas elas com espaço razoável para o número de alunos que cada turma contém e ainda laboratórios, com as condições necessárias para lecionar as disciplinas de: Físico-Química, Ciências, EV, ET e EM. Dispõe de duas salas de Informática, climatizadas, uma biblioteca e dois espaços destinados a sala de estudo. Os professores e demais funcionários têm à sua disposição uma sala onde foi colocado o bar e um recanto de trabalho, bastante requisitado, com computadores. Existem também gabinetes de trabalho para os professores das várias disciplinas. Não dispondo de rede de internet aquando da inauguração do novo edifício escolar, foi traçado um plano, tendo sido, recentemente, concluído a rede de internet por cabo em todos os andares da escola.
A escola oferece condições de trabalho excelentes para a disciplina de Educação Física, pois, para além dos campos, existe um pavilhão gimnodesportivo e ainda um ginásio.

 PATRONO

 Bartolomeu Perestrelo (1407-1457) era fidalgo da Casa do Infante D. Henrique que o encarregou de colonizar a ilha do Porto Santo na condição de primeiro Capitão e Donatário. Não tomou parte no descobrimento do Arquipélago da Madeira, e só conheceu as ilhas pela primeira vez em 1419, depois de se oferecer para acompanhar os descobridores João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira na segunda volta ao Porto Santo nesse mesmo ano.
De origem italiana, o seu pai Filippone Perestrello, nobre, natural da Lombardia veio para Portugal no tempo de D. João I. Bartolomeu Perestrelo casou três vezes, a primeira com D. Margarida Martins, falecida em 1431, a segunda com D. Brites Furtado de Mendonça, a terceira com D. Isabel Moniz, natural de Machico.
 Perestrelo teve três filhas do segundo casamento, um barão de nome Bartolomeu, filho do terceiro casamento, e uma filha, Dona Filipa Moniz, que desposou o navegador Genovês Cristóvão Colombo.
Perestrelo abandonou o Porto Santo dois anos após o início da colonização.
 Esta ilha foi explorada com a criação de gado e sementeira de pão, mas, pouco tempo depois, devido à escassez de águas naturais, que mal serviam a população e a agricultura, Bartolomeu Perestrelo regressou ao reino.
 O Infante Dom Henrique incentivou Bartolomeu a regressar à ilha do Porto Santo com a promessa da doação perpétua desta ilha a si e aos seus descendentes. A carta de doação data de 1 de novembro de 1446. Diz-se que Perestrelo imprimiu à ilha um impulso tal que a tornou mais produtiva. Mas esta prosperidade numa ilha de tão dura natureza não foi tão grande e duradoura que impedisse a desgraça e a miséria de Bartolomeu. A terra absorveu-lhe tudo, desde os dotes das suas mulheres aos benefícios, que, por diversas vezes, alcançou, incluindo a sua própria saúde. Deixando os seus dois filhos, Bartolomeu e Filipa, ainda em tenra idade, faleceu em 1457 com cinquenta anos.
Adaptado “Ilhas Zargo” e “Elucidário Madeirense

Ligações Úteis

Minimizar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Contactos

Rua Bartolomeu Perestrelo n.º 3 e 5.º,
9054-520 Imaculado Coração de Maria
Funchal - Madeira
Contribuinte: 671000217
 
 
Contactos
 
Geral - Telefone: 291 203 400  
 
© 2017 EB123/PE Bartolomeu Perestrelo