segunda-feira, outubro 03, 2022

Gripe A(H1 N1)v

O vírus A(H1 N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta os seres humanos.
Esta nova estirpe, contém genes das variantes humana, aviária e suína do vírus da Gripe, numa combinação genética nunca antes observada.
Não existe imunidade de grupo, motivo que favorece a, transmissão da doença e possibilita a ocorrência de uma
pandemia.

Período de incubação da doença

O período de incubação da Gripe A(H1N1), ou seja, o tempo que decorre entre o momento em que uma pessoa é infectada e o aparecimento dos primeiros sintomas, pode variar entre 1 a 7 dias.

Período de contágio

1 dia antes de se iniciarem os sintomas e até 7 dias após o seu início, ou até existirem sintomas.

Sintomas

  • Febre (em regra superior a 38.º).
  • Sintomas respiratórios (tosse, nariz entupido).
  • Dor de garganta.
  • Possibilidade de ocorrência de outros sintomas:
    • Dores corporais ou musculares; - Dor de cabeça;
    • Arrepios;
    • Fadiga;
    • Por vezes, vómitos ou diarreia.

Viabilidade do Vírus

Alguns estudos demonstraram que o vírus se mantém viável nas superfícies conspurcadas com gotículas de saliva ou secreções nasais de pessoas doentes, como maçanetas de portas, teclados, livros e outros objectos, durante várias horas, dependendo da porosidade, temperatura e humidade da superfície.

 Formas de Transmissão

  • Transmissão directa, pessoa a pessoa, através da inalação de gotículas de saliva espalhadas através da tosse ou do espirro de indivíduos doentes.
  • Transmissão indirecta através das mãos, quando levadas à boca, ao nariz ou aos olhos, após contacto com objectos ou superfícies contaminados com gotículas de saliva ou secreções nasais de pessoas doentes com gripe.
  • Não existe transmissão através da água ou dos Alimentos.

Inactivação do Vírus

O vírus pode ser destruído com qualquer produto comum de desinfecção doméstica (exemplos: água e sabão, detergentes, lixívia, álcool).

O vírus é igualmente destruído pela acção do calor – temperatura superior a 75.º centígrados.

Principais medidas de protecção

  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão.
  • Usar lenço de papel para proteger a tosse ou os espirros, inutilizar o lenço e lavar as mãos em seguida.
  • Se não tiver lenço, tossir para o antebraço, nunca para as mãos!
  • Evitar tocar na boca, no nariz ou nos olhos, sem ter as mãos lavadas.
  • Evitar a proximidade de pessoas com sinais de doença gripal ( manter uma distância superior a 1 metro).
  • Evitar locais muito frequentados.
  • Higienizar frequentemente as superfícies de trabalho, teclados, brinquedos, maçanetas de porta, etc.
  • Arejar as salas e espaços interiores.

Quando é que se devem lavar as mãos?

  • À chegada à escola, vindos da rua.
  • Após tossir, espirrar ou assoar o nariz.
  • A seguir à utilização de brinquedos, teclados e ratos de computador ou outros materiais escolares de uso partilhado.
  • Antes das refeições.
  • Após a ida à casa de banho.
  • Antes e após contacto directo com bebés e crianças pequenas.
  • À chegada a casa, vindos da rua.
  • Após contacto com uma pessoa doente com sintomas gripais, ou com roupas ou objectos manuseados pelo doente.

Quando não é possível lavar as mãos

Sempre que não seja possível lavar as mãos, estas podem ser higienizadas por fricção com uma Solução Anti-séptica de Base Alcoólica.

Limpeza de superfícies

Deve ser feita uma limpeza frequente de mesas de trabalho, maçanetas das portas, corrimãos, brinquedos, ou objectos que se levem à boca.
Para esta limpeza, é suficiente a utilização de um produto comum de desinfecção doméstica.
Objectos que possam ser levados à boca, depois de higienizados, devem ser passados por água limpa, a fim de evitar a ingestão do produto de limpeza.

Actuação perante um aluno que apresente febre e sintomas gripais

  • Crianças com Gripe não devem ir à escola, durante um período de 7 dias, ou até à alta clínica, se os sintomas persistirem por mais tempo.
  • No caso de uma criança manifestar febre e outros sintomas gripais durante a permanência na escola, deve ser afastada das restantes crianças e mantida na sala de isolamento, acompanhada por um adulto, sempre que necessário, até à chegada dos pais.
  • Deve ser contactada a Linha Saúde 24: 808 24 24 24 e seguidas as orientações quanto às medidas a adoptar.
  • Os adultos que acompanhem a criança devem usar máscara de protecção e adoptar os devidos cuidados de higiene das mãos.
  • Se possível, a criança deverá usar máscara de protecção, adaptada ao tamanho da face.

Cuidados a ter com o doente em casa

  • A pessoa doente deve ter um quarto e, idealmente, uma casa de banho só para si.
  • À excepção da pessoa que cuida do doente, deve impedir-se a entrada neste quarto de outros elementos da família ou de visitas.
  • O quarto deve permanecer, sempre que possível, com a porta fechada.
  • O doente deve usar máscara, de tipo cirúrgico, sempre que saia do seu quarto, ou esteja na proximidade de outras pessoas.
  • A pessoa que cuida do doente deve usar máscara, de tipo cirúrgico, sempre que permaneça no quarto do doente, sempre que esteja próximo deste, ou sempre que manuseie as suas roupas depois de usadas.
  • Deve ser promovido o arejamento deste quarto abrindo a janela, mantendo a porta fechada.
  • Os objectos e roupas manuseados pelo doente não devem ser partilhados com outros elementos da família, antes de lavados ou higienizados.
  • As zonas comuns da habitação devem manter-se arejadas.

Vigilância da Situação Clínica da Criança Doente

Medir a febre de manhã e à noite e registar as temperaturas numa folha de registo.

Controlar a febre, se necessário.

Oferecer líquidos, para manter a hidratação.

Dificuldade respiratória, vómitos persistentes, fadiga intensa e anormal, pele arroxeada, irritabilidade, dores ou mal estar intenso, recusa alimentar, reaparecimento, aumento ou persistência da febre durante mais de 4 dias, expectoração com sangue, ou confusão, perda de consciência e desmaios indicam um agravamento da doença:

TELEFONAR para a linha Saúde 24 (808 24 24 24) e seguir as orientações.


 
 
CREM - Centro de Recursos Educativos e Multimédia